3 4 de fevereiro de 2018

Os calos e calosidades são espessamentos da camada mais externa na pele em regiões suscetíveis a atritos e pressão. Ocorre normalmente na palma das mãos e pés.

A pele, sob estresse constante, produz uma hiperqueratinização, que é a responsável pelo engrossamento da camada mais externa, a epiderme. Os sintomas dos calos são visíveis e fáceis de serem detectados. Nas mãos, eles formam protuberâncias espessas.

Nos pés, podem aparecer como protuberâncias de cor amarelada. Por vezes, podem surgir entre os dedos, chamados de olho de perdiz.

O diagnóstico é feito por exame clínico, normalmente visual.

Mas o médico pode solicitar exames mais específicos para diferenciar de outras doenças, como verrugas. Pessoas que recebem muito atrito nas mãos e pés, como atletas ou trabalhadores, são as mais suscetíveis a terem calos. pessoas que andam de salto alto ou sapatos apertados também têm mais chances da doença.

O tratamento normalmente consiste em hidratar a área lesionada e retirar os calos com pedra-pome. O médico pode indicar medicamentos abrasivos para os calos, como ácido salicílico ou ureia. Remédios caseiros como óleo de amêndoas e suco de celidônia também combatem os calos.

A fim de evitar os calos, é importante que a pessoa proteja as áreas do corpo mais atingidas, como mãos (luvas) e pés (sapatos adequados e não apertados). Um alerta especial é para os diabéticos e pessoas com problemas circulatórios. Neles, os calos costumam ser mais graves.

Definição

Calos

O calo é caracterizado por um espessamento das camadas externas da pele em resposta à pressão ou fricção repetida.

O calo é definido como um espessamento da epiderme, isto é, a camada mais externa da pele, em pontos de pressão, com a palma da mão ou do pé.

Calos nos pés – calosidades

No que diz respeito aos calos nos pés, normalmente são dolorosos, causando inchaço e localizados nos dedos dos pés.

Se for entre os dedos dos pés, é chamado de olho de perdiz, olho de peixe, olho de boi, etc. Estas condições são o resultado de desgaste excessivo da pele.

As calosidades raramente são dolorosas.

Causas

A pele é composta por três camadas: a hipoderme mais profunda, a derme que pé intermediária e a epiderme, que é a camada mais externa. Isto inclui as diferentes sub-camadas da pele compostas células chamadas queratinócitos, que estão constantemente evoluindo em um ciclo fisiológico. Os queratinócitos envelhecem progressivamente e formam a queratina.

Ao mesmo tempo, as células que morrem são empurradas pelas células novas para as camadas mais externas (ou sub-stratum corneum) e, finalmente, são expelidas através da descamação. Num processo normal de queratinização, as células são removidas quantitativamente idênticas às novas gerações.

No caso em que a pele está sob stress, tais como a fricção ou pressão repetitiva, o mecanismo fisiológico de queratinização é desregulado. Dessa forma, o corpo superproduz queratinócitos resultando no espessamento da pele. Esse fenômeno cria os calos hiperqueratinizados.

Calos nas mãos normalmente ocorrem em pessoas que lidam com ferramentas pesadas ou fazem esforço repetidamente. Ginastas e pessoas que trabalham com machados e enxadas são as principais afetadas.

Calos nos pés calos são causados pelo uso de calçados inadequados, muito apertados ou saltos muito altos. O risco aumenta com a presença de qualquer deformidade do pé ou anormalidades como hálux valgo (desvio anormal do dedão do pé para fora), ou dedos dobrados como “martelo”.

Sintomas

Calosidades

A calosidade se manifesta pelo espessamento de algumas áreas da pele que são submetidas ao atrito ou pressão. As calosidades podem estar na palma da mão ou na sola dos pés.

O tamanho e forma das calosidades variam. Geralmente não são doloridas.

Calos

Fala-se em calosidade ortopédica ou calo, se for pequeno e amarelado de aspecto cônico. Muitas vezes, pode haver uma inflamação da pele.

O calo é geralmente encontrado na parte de trás das articulações, especialmente o dedo mindinho e na borda externa do pé. Dor no pé é muitas vezes frequente e a evolução mais complicada é manifestada através do olho de peixe entre os dedos.

Diagnóstico

Os calos são facilmente reconhecidos. No entanto, o médico pede o histórico médico do paciente ou uma biópsia. Seu objetivo é diferenciar os calos de outros sintomas similares, tais como verrugas.

O profissional de saúde pode examinar para detectar anormalidades como sua postura ou a de seus pés.

Complicações

Os calos causar complicações e, por vezes, causar infecções ou mesmo pus no local da lesão. Nos diabéticos, eles são mais perturbadores. Na verdade, o paciente muitas vezes procura ajuda médica tardiamente, pois as lesões são indolores. Os cientistas chamam essa condição de úlceras plantares, e são muito difícil de curar.

Tratamento

Os calos são uma resposta do organismo de forma a proteger a pele contra os excessos de pressão e fricção. No entanto, os calos devem ser tratados em casos de dor ou o risco de complicações.

Em casa, primeiro faça um escalda-pés com água morna e sabão por cerca de dez minutos. Em seguida, raspe o calo com uma pedra-pome ou lixa para essa finalidade. Repetir este tratamento regularmente.

Na ausência de contraindicação, o profissional de saúde pode prescrever substâncias que ajudam a remover os calos. Estas são as drogas contêm ácido acetilsalicílico, ácido láctico ou ureia.

Mal formações ou outras anormalidades nos pés são mais complicadas e podem precisar de cirurgia.

Em todos os casos, consulte a opinião do podólogo, ou seja, o especialista do pé e suas doenças, para tratar os calos.

Fitoterapia

  • Misture três colheres de chá de água com a mesma quantidade de suco de limão e 5 comprimidos de aspirina em pó. Espalhe a pasta sobre a área a ser tratada e enrole o pé com um saco plástico coberto com uma toalha quente por 15 minutos.
  • Um método mais fácil é usar casca de banana. Prenda-a com uma tira de pano. Aplicar por todo o calo de modo que a face externa da casca de banana esteja em contato com a lesão. Deixe a preparação atuar durante a noite e, em seguida, repita com uma nova casca. Finalmente, raspar calo com uma pedra-pome.
  • Resina de broto de pinheiro é eficaz no olho de perdiz. Basta colocá-la sobre a lesão por uma noite e um dia.
  • Você também pode remover o calo aplicando a mistura de dois dentes de alho e meia colher de chá de mel uma vez por dia. Fixe a preparação com uma compressa e uma fita adesiva. Lixar progressivamente eliminar o calo.
  • Veja também: suco de celidônia.

Suco de celidônia

Uso
Contra as verrugas e calos e calosidades em geral.

Ingredientes

O suco ou seiva da celidônia (numa boa celidônia, a seiva é possível de ser coletada).

Preparação

Basta cortar o caule da celidônica para coletar a seiva (suco).

Posologia

– Aplicar directamente a seiva sobre a(s) verruga(s). Você pode repetir a aplicação várias vezes ao dia.
– Aplicar o suco de celidônia também sobre calos e calosidades, várias vezes ao dia.

  • Veja também: remédio contra calos dos pés.

 

Ingredientes

– Óleo de amêndoas doce.
– 2 comprimidos de ácido acetilsalicílico (aspirina).

Preparação

Dissolva os comprimidos de aspirina em uma colher de sopa do óleo de amêndoas doce.
Misture bem.

Posologia

Massageie o pé com a mistura, principalmente nos locais com calos. Você pode usar um algodão e aplicar durante a noite. Continue a utilizar dia após dia até notar uma melhora nos calos.

Dicas para os calos e calosidades

Para evitar os calos e calosidades:

  • Usar luvas se suas mãos se ferem facilmente.
  • Use sapatos de boa qualidade, flexíveis, grandes e adaptados para os seus pés.
  • Evite também sapatos pontudos ou saltos altos.
  • Durante o tratamento, prefira ficar com os pés descalços ou, pelo menos, colocar sandálias.
  • Use nos pés curativos, palmilhas de espuma, ou outros acessorios para proteger os dedos.
  • Se você é diabético, tenha muito cuidado e consulte um podólogo regularmente para evitar a úlcera nos pés.
  • Tome precauções extras se você for idoso ou se os seus vasos sanguíneos têm problemas.
  • Aplique hidratantes sobre a pele de seus pés.

Consulte um médico se:

  • O seu calo dói ou se você tem sensação de queimação, vermelhidão, cianose ou sangramento.
  • Se você for diabético ou sofre de doença vascular.

O que não fazer:

  • Não retire os calos com objetos cortantes.
  • Ferir o calor, porque ele vai crescer de volta.
  • Aplicar substâncias corrosivas na pele saudável, pois há risco de queimadura.
Postado em Podologia | Tags: , , ,
4 de fevereiro de 2018

O stress é um ponto de partida para o Pé-de-atleta

Ocorre que, em situações de stress, o sistema imunológico sofre um rebaixamento, fica deprimido. Na verdade, existem vários tipos de fungos que podem atacar as pessoas, mas eles não atacam quando o sistema imunológico (as nossas defesas) está bem fortalecido. O mesmo se dá ao nosso departamento de defesa do organismo, que é o sistema imunológico. Daí para o ataque e proliferação dos fungos, é apenas um passo.

O que é Pé-de-atleta?

Infecção extremamente comum, que ataca mais homens do que mulheres, em geral adultos, o pé-de-atleta, ou frieira, é cientificamente chamado de tínea interdigital.
O pé-de-atleta, uma micose que atinge milhares de pessoas, é uma infecção facilmente tratada, que se apresentam em número superior a um milhão de tipos diferentes de fungos.
Quando os fungos que causam o pé-de-atleta (os Epidermphyton) entram em contato com a pele dos pés, particularmente nos vãos dos dedos, que é a região normalmente mais abafada e mais úmida, surge uma reação no tecido de modo a combater os efeitos do agente nocivo. Esse efeito também pode ocorrer, seja ele causado ou não por micróbios, por isso é necessária um exame micológico quando surgem os sintomas.
O pé-de-atleta, além do desconforto, pode causar problema estético nos pés. Assim, os pés reclamam quando surgem fissuras entre os dedos que causam uma impressão de falta de cuidados ou de higiene. As fissuras podem servir de porta de entrada para microorganismos oportunistas, por exemplo a erisipela.

Estética

As fissuras podem surgir desde uma pele vermelha que se descama até pequenas bolhas e um formato esbranquiçado da pele, com leves tons cinza, típicos de fungo.
Os pés também reclamam quando começam a sofrer pruridos ou coceiras, ou quando, depois de avançada a micose, são obrigados a se esconderem dentro dos sapatos quando a pessoa sai à rua. O odor fétido – bromidoso é explicado pela morte e decomposição de bactérias que alteram a composição química do suor.
Os pés correm o risco de sofrer desse problema quando são conservados dentro de sapatos fechados, especialmente com meias sintéticas, e esse risco se acentua no verão.
Uso diário de botas de couro, coturnos ou de borracha, os cuidados devem ser redobrados porque a transpiração dos pés é maior.
Qualquer pessoa, entretanto, que não faça a correta higiene dos pés ou que calce sapatos com os pés ainda úmidos ou usar meias e calçados que pertencem a outra pessoas contaminada, pode desencadear a ação do fungo.
Existe também o risco de contágio, principalmente para pessoas que andam descalças na praia ou nas piscinas e balneários.

Como se Cuidar:

– Lavar bem os pés com escovação diária da região plantar e enxugar principalmente entre o vão dos dedos, com muito cuidado.
– Procurar um dermatologista caso tenha algum sintoma de coceira, descamação, dor sob as unhas ou aparência de ‘bolor’ nos vãos entre os dedos do pé.
– Iniciar o tratamento o mais rápido possível após a constatação de pé-de-atleta, lembrando que uma infecção, se mal cuidada, pode desenvolver outras doenças.
– Em geral, o tratamento é feito com pós e cremes antifúngicos, de aplicação local. Se o problema estiver muito acentuado, o médico pode receitar antimicótico via oral.
– Limpar os sapatos por dentro, usando desinfetante diluído ou álcool, deixando-o secar bem antes de calçar.
– Usar meias de algodão, que são permeáveis.
– Usar chinelos quando estiver andando em piscinas, praias e locais úmidos de grande fluxo de pessoas. Prevenir essa infecção é importante e manter o tratamento mesmo depois de desaparecidos os primeiros sintomas é fundamental, pois ela pode voltar se o tratamento for interrompido.

1 de junho de 2016

Os pés são considerados como sendo uma extensão do cérebro e do coração, atuando como agente receptor e executor das atividades sensitivas, onde se inicia o processo de devolução sangüínea, permitindo ao coração e pulmões um trabalho tranqüilo e sem esforço.
Infelizmente as pessoas dão pouco valor a saúde dos pés. Elas não têm consciência de sua importância no dia-a-dia. Não lhes atribuem os cuidados necessários, por acreditarem que estão protegidos e escondidos pelos calçados.
Deparo no dia-a-dia com pacientes que apresentam problemas graves em seus pés por descuido ou desconhecimento em relação aos cuidados que se deve ter com eles.
A maioria dos profissionais em podologia, tem consciência e cuidados para com pacientes portador de bolha no pé, faz uso de todos meios de biosegurança disponíveis, desinfecção e esterilização dos materiais não descartáveis em estufas.

O que é bolha?

Acúmulo de fluido entre as camadas interna e externa da pele, devido ao excesso de fricção, uso de calçado apertados, queimaduras ocasionadas pelo frio, calor ou muito sol, doenças na pele, alergias e irritações na pele provocadas por agentes químicos.
Existem vários motivos que, isolados ou combinados, proporcionam o aparecimento de bolhas.
Os mais comuns são:

a) Suor, que amolece a pele e a deixa mais sensível ao atrito;
b) Desajuste das meias, causando uma fricção irregular entre meia e pele;
c) Tomar banho quente antes de caminhar;
d) Utilização de calçados inadequados e não impermeáveis; costuras ou protuberâncias internas do calçado.

Evite furar as bolhas, pois isto aumenta a possibilidade de infecção. Não mexa na bolha por 24 horas, para permitir que ela cure por si só. Elas secarão e a pele se desprenderá em uma a duas semanas. Enquanto isto, proteja a área colocando um anteparo, com uma abertura no centro, sobre a bolha.
Cuidado: Se a bolha se romper acidentalmente, recorte a pele solta. Mantenha a superfície limpa lavando-a duas vezes ao dia com um sabão antibacteriano. Aplique uma pomada antibiótica e um curativo para ajudar a cicatrizar.

Observação importante: Os pacientes diabéticos devem comunicar ao seu médico ou podólogo ou a equipe de saúde de diabetes. Não manipule por si, nem deixe que ‘pseudos-profissional’ manipulem as bolhas que porventura apareçam nos seus pés.

Medidas preventivas:

a) Verificar o perfeito ajuste das meias, que devem ser de preferência sem ou com o mínimo de costuras possível.
b) Utilizar um calçado adequado para prática de esportes;
c) Cuidar da higiene diária dos pés, que devem ser lavados imediatamente ao final de cada etapa.
d) Passar vaselina, entre os dedos. Esses produtos diminuem o atrito da meia contra a pele e entre os dedos.
e) Não tomar banho antes de começar a andar, principalmente banhos longos e com água quente, pois a pele dos pés amolece e fica mais propensa às bolhas.

Logo que sentir uma região do pé dolorida ou sensível, pare e verifique a causa. Corrija o problema da meia ou do calçado e cubra a região com anteparo especial.

Procure um Podólogo para não ter complicações, procure consultar – se com um profissional multidisciplinar devidamente habilitado no exercício de suas atribuições.

30 de maio de 2016

Calos e calosidades são resultados de atritos constantes sobre a pele, devido a uso de calçados inadequados, deformidades ortopédicas, vícios posturais , alterações na marcha, irregularidades ósseas, congênitas ou adquiridas. O tratamento do podólogo é simplesmente o desbastamento da hiperqueratose, e orientar sobre o tipo de calçados a serem usados, e indicação de órteses protetoras. Caso for irregularidade ósseas é orientado para tratamento da causa com médicos especialistas.

Fissuras
(Rachadura nos calcanhares)

A imagem de rachaduras e pele desidratada à mostra não é nada agradável.

Quando a pele é agredida por fatores externos (atrito com calçados) ou falta de hidratação, a mesma tem uma reação de engrossamento (acumulo de queratose), que surge como defesa, formando assim, calos ou calosidades.

A utilização de produtos que mantém a hidratação da pele ajuda muito na reparação tecidual.

Os pés sustentam o corpo de maneira que podem sofrer inúmeras patologias (doenças), que devem ser tratadas por especialistas (médicos e podólogos)

O aparecimento de rachaduras ocorre por várias causas:

  • Defeitos ortopédicos
  •  Hereditariedade
  •  Alterações climáticas
  • Conseqüências de psoríase
  • Diabetes
  • Doenças vasculares
  •  Obesidade
  • Micoses
  • Agressões químicas
  • Andar descalço
  •  Uso de calçados abertos nos calcanhares (sandálias).

O tratamento do podólogo é a umectação local com emolientes, e em seguida feita a remoção da queratose (calosidades) e lixamento.

Dependendo do diagnóstico, o paciente é encaminhado a médicos especialistas, pois assim pode ser tratada a causa das fissuras calcâneas.

 Procure sempre usar calçados adequados, controlando essas rachaduras com o uso diário de cremes á base de uréia hidratante e alto poder de cicatrizes.